Rua Edson Luiz de Miranda, 119 – Maria Goretti, Belo Horizonte – MG, 31930-490, Brasil

Tfno: (+31) 3432-1080 / 3466-0957

Párroco: P. Fernando Aguinaga

fernandoaginaga@escolapios.org.br

@paroquiasaomarcos.bh

  1. A PARÓQUIA SÃO MARCOS – BELO HORIZONTE (MG) – BRASIL

A Paróquia São Marcos foi criada no dia 24 de dezembro de 1977 por Dom João Resende Costa, arcebispo de Belo Horizonte. O primeiro pároco foi o Padre José Pedro Mol, diocesano. No início abrangia 17 bairros e, aos poucos foram nascendo comunidades, uma por bairro. Os padres escolápios, principalmente o Pe. Carmelo, ajudavam o pároco no serviço pastoral, assumindo eucaristias dominicais e a organização da catequese. Fruto dessa colaboração foi o nascimento de uma comunidade eclesial que escolheu o nome de Comunidade São José de Calasanz (no site consta “Calazans”) e conta com um templo, na rua Hélio Natale, 79, Pousada de Santo Antônio; Paróquia Nossa Senhora das Vitórias.

No ano 1984 a paróquia São Marcos foi desmembrada em três paróquias: São Marcos, Cristo Crucificado e Nossa Senhora das Vitórias. A paróquia São Marcos foi confiada aos escolápios, sendo nomeado pároco o Pe. Jesus Guergué e vigário o Pe. Félix Quiroga. A Ordem Escolápia comprou uma casa na Rua Janete Helena, 90, Pirajá. Nessa casa constitui-se uma comunidade religiosa de formação que acolheu pré-noviços, noviços e juniores.

A Paróquia São Marcos, no momento que foi desmembrada e confiada aos escolápios contava com quatro comunidades: Nossa Senhora do Rosário, Rua Regina, 170, Eymard; Santa Maria Goretti, Rua José Isidoro de Miranda, 71, Goretti; São Judas Tadeu, Rua Sebastião Santana, 203, Ipê e São Benedito, Rua Santa Aliança, 362, São Marcos. O Centro Paroquial está situado na Rua Edson Luiz de Miranda, 119, Goretti.

 

  1. PRINCIPAIS ATIVIDADES DA PARÓQUIA

Atendendo aos documentos da Igreja sobre o perfil atual de uma paróquia, especialmente, podemos organizar as atividades que se realizam considerando os dois focos que pede o Documento de Aparecida: discípulos e missionários, os três ministérios fundamentais e comuns a todos os cristãos e que derivam do Batismo: serviço da Palavra, serviço da Liturgia e serviço da Caridade. Logicamente, as prioridades que emanam do carisma e da missão escolápios: evangelizar, educar e transformar a sociedade.

Primeiramente, é importante destacar a presença das comunidades religiosas (vida consagrada) e da Fraternidade Escolápia. A Comunidade São Miguel Arcanjo, dos religiosos escolápios, mesmo situada em um âmbito geográfico fora da paróquia, junto ao colégio escolápio do mesmo nome, no bairro da Nova Floresta, serve à mesma, pois os religiosos participam ativamente da vida e da missão paroquial. A Comunidade São José de Calasanz, situada no espaço da paróquia, nasceu, além de casa de formação inicial escolápia, para servir mais diretamente à comunidade cristã paroquial. No bairro de São Marcos, junto às instalações da Comunidade de São Benedito, está presente uma comunidade religiosa das Sacramentinas de Bérgamo. Participam da vida eclesial na liturgia, na catequese, adoração ao Santíssimo Sacramento etc. Elas têm também uma creche regular para atender 127 crianças do bairro, de 1 a 5 anos, ao longo da semana. Houve também, por vários anos, outra presença de religiosas Servas de Maria Reparadora, perto da paróquia escolápia e que participavam da mesma. A Irmã Aparecida Mesquita trabalhou como voluntária e profissional, ao longo de muitos anos, na Pastoral do Menor e no Centro Social, com muita dedicação.

A paróquia conta também com a presença muito valiosa da Fraternidade Escolápia. São quatro pequenas comunidades: Cooperadores da Verdade, Jesus Mestre, Mãe de Deus e Sagrada Família (em discernimento). Cada encontro tem três momentos: oração a partir da Bíblia e da vida do povo, de cunho vocacional e orientada para o compromisso pastoral; reflexão compartilhada da mensagem cristã, incluindo temas especificamente escolápios; e partilha de vida e da missão. Anualmente tem retiros, assambleias, encontros plenários, convivências e campanhas em favor dos mais desfavorecidos. Praticamente todos os membros participam semanalmente nas celebrações litúrgicas nas comunidades cristãs da paróquia ou do colégio, participam como voluntários em atividades de catequese (Movimento Calasanz), de liturgia, de outras pastorais e em atividades do Centro Social Escolápio. Alguns já fizeram a Opção Definitiva. A Fraternidade mudou muito o sentimento e o estilo das obras escolápias e, também, da paróquia.

2.1. MINISTÉRIO DA PALAVRA:

– Movimento Calasanz (catequese de grupos e de processos com crianças, adolescentes e jovens; catequese de iniciação também com adultos).

– Educadores da fé: formação permanente na fé com adultos, principalmente com lideranças e agentes de pastoral, aberto, porém aos fiéis que o desejarem.

– Círculos Bíblicos. Reunião semanal nas casas dos membros de cada grupo, orando, refletindo a mensagem cristã e compartilhando a vida e a missão, no  estilo das “pequenas comunidades”.

– Pastoral Familiar. Encontros de preparação remota e próxima ao sacramento do matrimônio. Encontros de casais. Reflexão com temas da Semana da Família. Atendimento a famílias que pedem ajuda por motivos de relacionamento, de necessidades materiais etc.

– Pastoral do Batismo. Encontros de preparação remota e próxima.

– Conselhos Comunitários de Pastoral. Conselho Paroquial de Pastoral e Administrativo.

2.2. MINISTÉRIO DA LITURGIA:

– Equipes de liturgia em cada comunidade eclesial com reuniões semanais.

– Ministros Extraordinários da Comunhão. Ajudando na distribuição da comunhão nas celebrações, levando a Palavra e o Pão Eucarístico aos doentes,

– Apostolado da Oração. Orações diárias, eucaristia mensal e participação ativa nas atividades das comunidades eclesiais e da paróquia, colaborando em tudo que precisar.

– Grupos de Oração da Renovação Carismática Católica (RCC). Preparação do louvor e a oração de louvor aberta a toda a comunidade eclesial.

– Terço dos homens, uma vez por semana.

2.3. MINISTÉRIO DA CARIDADE

– Testemunho de vida cristã pessoal, dos grupos e comunidades eclesiais.

– Conferências Vicentinas. Reuniões e metodologia de trabalho própria, visitas às famílias em situação de vulnerabilidade sócio econômica, “sindicâncias” para avaliar o nível e veracidade das necessidades reais, recolhida de alimentos nas eucaristias comunitárias (terceiro domingo de cada mês, quando os fiéis levam alimentos não perecíveis à celebração e entregam no ofertório perante o altar), preparação desses alimentos em “cestas” para entregar a cada família cadastrada e levar essa cesta para cada família “assistida”.

– A Pastoral do Dízimo. Antes e depois das celebrações eucarísticas acolhem aos fiéis dizimistas na “mesa do dízimo”, normalmente perto da porta da entrada ao templo, e recolhem o valor que é entregado ou devolvido. Na mística do Dízimo o valor não se dá, como se fosse uma esmola, se “entrega” ou “devolve” a Deus, pois a Ele pertence. Cada dizimista tem um carné onde anota os valores entregues, normalmente uma vez por mês, de acordo com as possibilidades e a consciência de cada um. O agente da pastoral assina o recebimento e guarda um comprovante do recebido para entregar tudo, valores e comprovantes ao tesoureiro.

– Pastoral da Saúde. Elabora o cadastro dos doentes e os visita nas casas. Ajudam os padres para preparar a Unção, Confissão etc. Auxiliam os ministros da Eucaristia para levar a Palavra e o Pão consagrado às casas, no dia e hora programados.  Toma conhecimento da situação da família para fazer a conexão da mesma com a comunidade eclesial e providenciar ajuda em outros aspectos.

– Pastoral da Criança. Atende às mães gestantes e às crianças até 5 anos com visitas, pesagem das crianças com orientação de pediatras para comprovar que estejam bem nutridas, elaboração e distribuição da “multimistura” (farinha de milho ou mandioca com enriquecimento de nutrientes). Articulação com postos de saúde e centros sociais do estado para atender às demandas de saúde das crianças e das famílias em situação de vulnerabilidade social.

– Pastoral do Menor. Atende a crianças e adolescentes a partir dos 6 anos. Acompanha a situação das famílias, a participação na escola e oferece atividades de reforço escolar, lazer, culturais, profissionalizantes, “menor aprendiz”, de socialização e outras que permitem acompanhar e fomentar o desenvolvimento fisiológico, sócio afetivo, de aprendizagem e relacional. Hoje, essas atividades estão absorvidas pelo Centro Social.

– Grupos de fé e política. Organizando atividades de conscientização das comunidades sobre a importância de participar na vida política municipal e do país para melhorar a situação de vida do povo simples, tanto no interior como nas periferias. Toma conhecimento e participação nos conselhos municipais de saúde, do menor, conselhos tutelares, de assistência social etc. para fazer de ponte entre as políticas públicas e as atividades municipais que delas derivam e que são aprovadas nos orçamentos municipais para que sejam efetivadas nos bairros de periferia e pela população em situação de risco.

– PASCOM (Pastoral da Comunicação). Em fase inicial de implantação, a partir dos documentos da Igreja (“Diretório de Comunicação da Igreja no Brasil” – Cofereência Nacional dos Bispos do Brasil – ano 2014) e dos escolápios (“Comunicar para a missão” – aprovado no Capítulo Provincial de 2018).  Por causa da pandemia que gerou a situação de isolamento social em março de 2020, os religiosos escolápios jovens assumiram, a partir da prática, o projeto de “paróquia digital”, com excelentes resultados, veiculando celebrações litúrgicas, mensagens e vídeos catequéticos do Movimento Calasanz e criando uma rede de solidariedade (recolhida e distribuição de alimentos), serviço de escuta e de diálogo para quem pede e precisa e outros serviços pastorais que se realizam por via digital, por meio das redes sociais.

– Relação com entidades dos bairros: escolas, postos de saúde, associações de moradores etc. Procurando sempre a melhoria da qualidade de vida dos moradores dos bairros onde a paróquia está situada, os religiosos escolápios e os agentes leigos/as de pastoral estabelecem relações de colaboração, atividades comuns, campanhas sociais e outras vias que venham beneficiar o povo. Destaca entre essas ações a relação de intercâmbio com as escolas municipais e estaduais. No bairro de Ipê, na Comunidade Eclesial São Judas Tadeu da Paróquia São Marcos, na década dos anos 90, quando a prefeitura da cidade abriu espaço para os moradores dos bairros participarem do orçamento municipal (“Orçamento Participativo”), os membros dessa comunidade pleitearam e conseguiram que se construísse uma escola municipal numa área bem perto do templo católico. Conseguiram a escola e, também, que o nome da mesma fosse Escola Municipal José de Calasanz. Essa escola utiliza, em conceito de aluguel, salas próximas da paróquia escolápia. Sobre as escolas é importante citar a parceria que houve com a Pastoral do Menor, quando voluntários credenciados dessa pastoral entravam nas escolas com autorização das direções das mesmas, para trabalhar com os alunos temas de valores humanos e sociais.

 

  1. ARTICULAÇÃO COM A PRESENÇA ESCOLÁPIA DE BELO HORIZONTE

Hoje, essa articulação é plena, por meio da Equipe de Presença Local e Demarcacional e pelo Projeto de Presença. Toda semana acontece a reunião da Equipe de Presença Local (Belo Horizonte) e quinzenalmente da Equipe de Presença do Brasil. A partir dos Projetos de Presença do Brasil, aprovado no Capítulo Provincial, cada equipe acompanha a AGENDA anual que contém a programação anual. A Equipe de Presença não toma as decisões que correspondem a cada obra ou comunidade (religiosa ou da fraternidade), mas acompanha as atividades procurando que todas elas estejam impregnadas pelo carisma e a missão escolápios.

Uma entidade educativa, cultural e social que nasceu da paróquia e continua profundamente ligada a ela é o Sonoro Despertar. Iniciou sua caminhada no ano 1999, impulsionada pelo Pe. Jesus Guergué e a professora de música Celeste Machado. Oferece às crianças, adolescentes e jovens uma educação musical por meio das flautas que movimenta um grupo de, aproximadamente, 150 membros. Ensaiam semanalmente duas vezes e realizam três apresentações por ano, aberta à comunidade. A relação com as famílias é bem intensa e estreita. A fama desse projeto ultrapassa os limites da paróquia e é conhecido e apoiado em nível arquidiocesano, nos meios culturais da cidade e conta com o apoio decidido da PUC (Pontifícia Universidade Católica) do Estado de Minas Gerais.

A relação com o Centro Social é bem maior, pois o Centro se encontra dentro da área da paróquia e está servindo ao mesmo povo. Muitas pessoas que participam no Centro Social são evangélicos, pentecostais ou espíritas e, logicamente, não tem, normalmente, participação na paróquia. O Centro Social escolápio abre uma porta a mais para atender e manter relações com pessoas e famílias de outras crenças. Esse fato enriquece a presença escolápia no âmbito social que abrange a paróquia. Esta, assim como o colégio, realiza campanhas em favor do Centro Social e mantém uma relação muito estreita de colaboração. O Centro oferece muitas atividades educativas (“educação não formal”): reforço escolar, alimentação complementar, atividades profissionalizantes, de socialização, de inclusão digital, de cunho cultural, educação física (capoeira, dança, esportes etc.). Normalmente acontecem nos horários de contra turno escolar. São mais de 300 pessoas que participam nas atividades do Centro Social, a maioria crianças, adolescentes e jovens; também adultos. Os educadores são, a maioria, voluntários, com alguns profissionais.

A relação com o Colégio São Miguel é positiva, principalmente por meio dos religiosos que estão presentes nas obras, da Fraternidade Escolápia, do Movimento Calasanz e da Equipe de Presença. Existem atividades em comum tipo campanhas em favor do Centro Social, de organização e formação de catequistas, de ação solidária, de Itaka Escolápios etc.

Recentemente, com a criação da Rede de Paróquias Escolápias, a Paróquia São Marcos foi aceita para fazer parte da rede, se fortalecendo na linha do carisma e da missão escolápios, compartilhando projetos e práticas pastorais com as outras paróquias da Ordem.

 

Este sitio web utiliza cookies para que usted tenga la mejor experiencia de usuario. Si continúa navegando está dando su consentimiento para la aceptación de las mencionadas cookies y la aceptación de nuestra política de cookies, pinche el enlace para mayor información. ACEPTAR

Aviso de cookies